Matérias

O desenvolvimento da visão na criança

O desenvolvimento da visão na criança

Assim como o bebê aprende a falar as primeiras palavras e a dar os primeiros passinhos, ele também, aos poucos, vai aprendendo a enxergar. Ao mesmo tempo, acontece o desenvolvimento de outras funções como movimentar os olhinhos. O sistema visual se inicia ainda na fase pré-natal e, quando o bebê nasce, ele não está completamente formado. Leva algum tempo para que o cérebro “aprenda” a identificar os estímulos visuais. A primeira impressão que o bebê tem da mãe, certamente, não é a cor dos olhos e dos cabelos ou o formato do rosto, mas provavelmente o seu cheiro e sua voz. E o motivo disso é porque o recém-nascido não enxerga com nitidez e não tem a percepção das cores.

A visão tem um papel importante no crescimento físico e cognitivo da criança. Por isso, é fundamental que sejam detectadas condições oculares que possam comprometer o desenvolvimento da criança logo ao nascer, quando as chances de um tratamento bem-sucedido são maiores. O primeiro exame oftalmológico deve ser realizado ainda na maternidade: o teste do reflexo vermelho, mais conhecido como Teste do Olhinho, que visa diagnosticar doenças como retinopatia da prematuridade, catarata congênita, glaucoma congênito, retinoblastoma, infecções e, até mesmo, cegueira. 

As fases do desenvolvimento da visão

Os três primeiros meses

No primeiro mês, a visão é borrada como no nascimento, porém o contraste é melhor. Com 2 meses, o alcance de visão do bebê chega a quase 50 centímetros, ele já consegue fixar o olhar, tocar objetos e tenta acompanhar movimentos. Aos 3 meses, há um progresso na percepção de cores, contraste e nitidez. Com isso, as imagens estão menos desfocadas. Neste período, começa a interação entre os olhos e as mãos e, aos poucos, vai seguindo de maneira mais atenta os objetos e começando a tentar tocá-los. O bebê possui 1/3 do campo visual do adulto. 

De 4 a 8 meses

Nesta fase, o bebê continua aprimorando cada vez mais a coordenação dos olhos e das mãos. Também já consegue reconhecer pessoas. Por volta dos 5 meses, a percepção de profundidade e a visão em 3D começam a se desenvolver, assim como a visão colorida, apesar de menos desenvolvida que nos adultos, já é melhor. Por isso, há o interesse cada vez maior por cores vivas e contrastantes. Aos 6 meses, é capaz de fixar um objeto e mudar de fixação voluntariamente, e também inclina a cabeça para olhar

De 9 meses a 1 ano

Aos 9 meses, o bebê começa a engatinhar, aumentando ainda mais a coordenação olhos-mãos. Com um ano, discrimina objetos e tem visão de formas e distâncias. Com isso, já é capaz de alcançar objetos com maior precisão. Nesta fase, a criança tem aproximadamente 50% da visão do adulto.

De 1 a 2 anos

A criança começa a andar e explorar o mundo. Por isso, é importante ter cuidado com objetos espalhados pela casa, pois eles representam perigo para traumas oculares.Aos 2 anos, a visão de cores, percepção de profundidade e coordenação olhos-mãos já estão bem desenvolvidas.

Aos 3 anos

A criança já possui um sistema visual totalmente desenvolvido, tal como um adulto. 

Quando o bebê deve ser levado ao oftalmologista?

Depois de fazer o Teste do Olhinho ao nascer, a recomendação é que os bebês sejam avaliados entre 6 meses a 1 ano, aos 3 anos e aos 5 anos. A partir da idade escolar, deve ir ao oftalmologista regularmente, pelo menos uma vez ano. 

"Depois de fazer o Teste do Olhinho ao nascer, a recomendação é que os bebês sejam avaliados entre 6 meses a 1 ano, aos 3 anos e aos 5 anos."

A que os pais devem ficar atentos para ter certeza de que a visão do filho está se desenvolvendo normalmente? 

• Em crianças maiores de 4-6 meses, desvios oculares (estrabismo) devem ser avaliados.

• A ambliopia, conhecida como olho preguiçoso, normalmente não provoca sintomas. Por isso, é recomendado que, antes dos dois anos de idade, a criança seja avaliada por um médico oftalmologista.

• O aspecto branco da pupila pode indicar presença de catarata congênita ou câncer intraocular. Geralmente, ao fazer fotos, aparece um reflexo branco na pupila.

• Após os três meses de idade, se houver dificuldade em manter o contato visual com um objeto em movimento, dentro do campo de visão, o bebê deve ser avaliado por um oftalmologista.

• O lacrimejamento excessivo pode ser a causa de obstrução das vias lacrimais, infecções ou aumento da pressão intraocular.

• Vermelhidão nos olhos que não desaparece com o tempo também é sinal de que é necessária uma avaliação oftalmológica. 

Talvez te interesse também:

 
Supremo Tribunal Federal confirma:  quem cuida dos olhos é o médico oftalmologista

Destaques

Supremo Tribunal Federal confirma: quem cuida dos olhos é o médico oftalmologista

Se um profissional que trabalha em uma ótica escolher, indicar ou aconselhar lentes de grau, está cometendo exercício ilegal da Medicina....

Conselho Brasileiro de Oftalmologia alerta sobre repercussões das doenças raras na saúde ocular

Matérias

Conselho Brasileiro de Oftalmologia alerta sobre repercussões das doenças raras na saúde ocular

No Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente, existem mais de 13 milhões de pessoas com doenças raras...

Computador e saúde ocular

Matérias

Computador e saúde ocular

Ficar muito tempo no computador afeta a nossa visão? ...

Top